18 maio 2010

Amador - amigas na cama

video

existe video mais natural e ao mesmo tempo, mais excitante do que duas amigas brincando na cama?

10 maio 2010

A vida e suas fases.

Atire a primeira pedra quem nunca teve a fase santa, a fase perguete, a fase “foda-se” ou fase sossegada. Acho que todas fazem parte das experiências que precisamos vivenciar para assim concluir o que realmente queremos no momento seguinte.

Atualmente estou saindo da fase periguete para a fase sossegada. Não, não arrumei um namorado, pelos motivos que vou explicar a seguir, mas quero sossegar pelo simples fato de que cansei. Cansei da guerra e do combate.

Quando se esta nessa fase periguete, tudo é festa, tudo é possível, tudo é aventura. Se transa na noite em que voce conhece o indivíduo. Se topo ir numa casa de swing. Aceita pegar a amiga e o amigo da amiga. Perde a noção do perigo e se transa num bosque. Quer aventurar-se ao ar livre, na adrenalina de ser flagrada. Tudo faz parte da fase em que você não se importa em quem está participando da transa e sim no prazer que ela vai lhe dar. Você não se apega aos detalhes, e não troca telefone, não quer contato pós foda no dia seguinte. Tem a auto estima elevada, e vende este produto. Atrai pessoas que só querem isso também. Faz e fala coisas condizentes ao que você esta vivenciando. A fase periguete!!!

Acho que tudo é válido, e tudo é experiência, mas tem que haver um momento de parar. O momento é quando aquilo tudo não faz mais sentido pra você. Vem um vazio e uma sensação de que pode realmente ficar perigoso. Quase uma auto destruição. É perder os limites da razão de que a fase tem que passar. Às vezes é preciso uma pessoa amiga pra te puxar pra realidade. E aí é preciso mudar.

Mudar por você, não pelos outros. Mudar porque a vida não é estática. Ela está sempre em movimento. Aí quando você se depara com isso, percebe que toda aquela agitação da fase periguete não lhe é mais satisfatória. Você não vê necessidade de estar sempre correndo atrás do prazer pelo bel prazer de ter prazer. Você quer ver a lua, beijar na boca devagar. Você quer conversar e saber quais os medos do cara que acabou de conhecer. Lógico que essa transição não acontece da noite pro dia, e dependendo de quem convive com você fica difícil convence-los a curto prazo que você esta mudando e não é mais a pegadora da galera. E olha, são estigmas difíceis de apagar. Mas jamais impossíveis.

A fase sossegada você se contenta em sair pra balada, passar a noite toda dançando sozinha na pista. Se satisfaz tomando um vinho em casa somente com a sua companhia. Sente prazer em ler um livro. Gosta de imaginar situações. E passa a imagem de equilíbrio. Porque é isso que você está buscando. Equilíbrio. Se arrepender jamais, porque a fase de perigute foi necessária, hoje ela não te satisfaz mais.

Lógico que eu queria sossegar estando envolvida com uma pessoa que realmente merece, mas nunca na fase periguete da vida que você vai encontrar alguém que realmente vale a pena. Existem exceções, lógico, mas nunca é a regra.

A fase sossegada é a fase que você mais se ama, mais se respeita e mais se curte. É uma fase quase de auto conhecimento. E nessa busca de paz de espírito você atrai pessoas que estão na mesma vibe.

Porque a vida são fases.

03 maio 2010

Correr atrás



Quem nunca passou por essa? Comete-se um deslizo, pede desculpas achando que tudo vai ficar bem, têm as desculpas aceitas, mas ao decorrer dos dias, percebe-se que não está como antes?
Então começa a maratona de agrados, mimos e surpresinhas, jantares, motéis mais caros, palavras mais doces do que de costume, tudo a fim de quebrar aquele gelo, e, porque não, aliviar a consciência pesada.
O fato é, correr atrás é uma faca de dois gumes, pois pode ser um bom aliado, ou pode ser um vilão para o relacionamento.
A parte boa, é que você pode realmente mostrar que está arrependida (o) de seus erros, e tudo pode voltar como era ou até melhor do que antes, mas o problema desse lado, é que você sabe que vai ter que sustentar esse nível de tratamento por um bom tempo, caso contrário, seu(sua) namorado(a) vai achar que você só está fazendo isso por crise de consciência.
O lado ruim, é que ao correr atrás, geralmente se comete um grave erro, que é se expor demais em atitudes de demonstração de afeto, e por que não em alguns casos, abrir seu coração demais, e isso pode ocorrer o efeito colateral, que de injustiçado, seu (sua) parceiro(a) se sente no “poder”, ou seja, acha que você está na mão dele (a), e isso, caros leitores, é brutalmente doloroso. Pois por mais que tenhamos tato e carinho para com ele(a), mais maus tratos temos de retorno, e aí sim colhemos os verdadeiros frutos de indiferença, imparcialidade, e porque não, o retorno do erro que cometemos de uma maneira pior, ou seja, sem o arrependimento do(a) parceiro(a).
O que fazer então? Simples, seja franco. Converse. Assuma seus erros e entenda a mágoa do(a) parceiro(a). Sim, faça um agrado, mas não exagere, nós seres humanos temos uma forte tendência em não valoriza o que nos é dado de graça, e, além de tudo e mais importante, não grude demais, respeite o espaço, deixe ele(a) absorver as informações primeiro. E quando estiver realmente firmando um acordo, valorize e mostre que NÃO COMETERÁ O MESMO ERRO, garanto que essa atitude servirá muito mais do que qualquer mimo ou agrado como pedido de desculpas.
Tendo provado que não cometerá o mesmo erro, aí sim é a hora de agradar, curtir e serem felizes.
Mas, se mesmo após essa conversa ainda restarem mágoas e maus tratos, entra agora o amor próprio, pois o mais virtuoso do ser humano, antes de tudo, não é reparar o erro, mas sim assumir que errou e está disposto a não cometer aquele mesmo equívoco, e se mesmo assim ele(a). não perceber isso, insistir no erro beira a falta de amor próprio, pois não é porque você errou que merece ser martirizado até o fim de sua vida por tal. Então, caras (os) leitoras(es), é nesses momentos que devemos avaliar a gravidade do erro com a reação do parceiro(a). será que compensa correr mais atrás? Será melhor deixar como está? Será melhor conversar novamente ou será melhor terminar a relação ou dar um tempo nela? Isso só saberemos de acordo com o que erramos.
Agora, não é porque sabemos das duas facas de dois gumes, que devemos resolver de vez em não correr atrás... muito pelo contrário, correr ou não atrás, vai definir se você gosta ou não dessa pessoa, o que eu digo é: sem exageros. converse.

É como dizem por aí: “O diálogo é a chave para abrir as portas do mundo”.

Segredobsceno.

20 abril 2010

Você sabe se desapaixonar?

Que mulher nunca se encantou com aquele cara que se preocupa com ela na hora da transa? Que paga a conta do jantar, e abre a porta do carro pra ela entrar? Que manda sms provocativas? São homens fáceis de se apaixonar sim, mas podem, na grande maioria, esconder apenas que o fazem tudo isso para conquistar e ter alí uma transa fácil. Seria um compromisso sem compromisso, vocês não se falam todo dia, muito menos se veem, mas quando acontece o encontro é perfeito.
Aí chega uma hora que a mulher para e pensa: Porque não manter isso nos dias que se seguem, aumentar a vontade de se ver, os encontros, e esperar que aquele cara que é perfeito quando estão juntos, seja o homem da sua vida, que ficará com você até a velhice.
Sim, nós mulheres, por mais independentes e seguras que sejamos, temos esses desejos escondidos a 7 chaves, mas uma hora ele aflora, e na maioria das vezes, aflora pro cara errado.
Aí a "merda" está feita, você está apaixonada por alguém que não nutre, mais que tesão (e as vezes um carinho por você), só que você se vê numa situação de querer cobrar sem parecer que esteja cobrando. Ao primeiro sinal que você dá de que quer ver ele amanhã, depois e depois, o cara dá um chá de sumiço, e não só de sumiço como de desaparecimento sem precedentes.
Eu vou dizer o que eu faço, ao menos procuro fazer, o que não é fácil, pois nossa intuição irracional nós faz crer nas inúmeras desculpas que só existem nos filmes de romance. As desculpas podem ser que ele teve problemas no trabalho, viajou às pressas, a avó faleceu, o celular caiu na privada e assim os segues...
Ok gatona, você se apaixonou pelo cara errado, e o errado não está mais aí pra você. Então se permita sofrer essa desilusão um dia, melhor, dois dias, um final de semana somente. Chore se tiver vontade, coma brigadeiro de colher, pense na vida, fique sentada em frente a TV 20 horas seguidas. Se tiver algumas amigas ou até amigos em que eles tenham ombros a te oferecer, aceite, se lamente, se culpe (mas somente temporariamente). Se permita curtir essa fossa, e aproveite pra apagar tudo o que te lembra ele. Eu já apaguei telefone, msg, e-mail, orkut, facebook etc de "peguete" inúmeras vezes. Mas não se boicote, não deixe rastro do numero de telefone, e-mail etc. Não decore essas coisas de homens que não valem a pena. Apague tudo isso que te lembre ele, com a certeza de que é melhor pra você!! Faça isso de forma que esteja consciente de que vc realmente quer se desapaixonar.
Passou os dois dias de lamentações pela frustração. Levante no outro dia, se arrume pra vc, se perfume pra sua vida!! Você não está sozinha nessa, alí logo a frente, na fila do cinema ou do supermercado tem um carinha que pode sim, fazer tudo ser perfeito, pelo simples fato de que você merece isso.
Não é uma receita de bolo, porque não existe receita de bolo pro amor, mas se desapaixonar pode ser tão bom quanto se apaixonar... porque a vida segue, e você com certeza é linda e digna de ser! E tudo é um aprendizado!

No banheiro do Bar

Nunca escondi de ninguém que eu gosto de meninas, também!! Acontece que nem todas pensam assim, e entre as amigas próximas eu sempre falei e joguei verde, mas nunca colhi maduro.
Ate que, as redes sociais disponíveis na internet aproximam pessoas que tem algo em comum, ou não tem e se descobre depois.
Numa dessas redes sociais eu conheci muita gente interessante, e entre elas uma menina/mulher! Desde a primeira vez que nos encontramos e antes mesmo no virtual sabíamos que a amizade ali seria divertida....senão, interessante!
Com o tempo ficamos confidentes, e dividíamos alguns segredos sexuais. Ela ficava com um cara que me fez uma proposta um tanto tentadora: Marca um almoço essa semana que eu vou almoçar vc no motel!!!
Realmente se não fosse meu ritmo frenético de trabalho e responsabilidades, eu daria um perdido no chefe e daria pra aquele pedaço de homem gostoso fácil!!!!!
Mas enquanto isso não se realizada, eu e X nos aproximávamos mais e mais. Ate que embriagadas num bar ela me da um selinho e me confidencia: Eu morro de vontade de ficar com mulher!!
Era a deixa pra que eu investisse até onde iria a curiosidade da vontade e do tesão e tudo o mais que envolve o ser sexual que somos.
Neste dia nada aconteceu alem de selinhos e carinhos Dias depois resolvemos ir numa boate onde a diversidade impera.
Não tão embriagadas, mas certas do que realmente queríamos, X começou a me provocar na pista de dança, dançando sensualmente e se esfregando em mim. Não resisti aos olhos e bocas que pareciam suplicar pra que eu a beijasse.
Nos beijamos maravilhosamente.
Faço aqui meus comentários a cerca do beijo de uma mulher: Molhado na medida, macio como veludo, intenso como as paixões e nem que eu soubesse todas as palavras não saberia mais como descrever o beijo de uma mulher.
Ficamos na pista sentindo todo aquele calor, a musica, nossa respiração, nossas línguas, nossas mãos. Desci minha mão a bunda e a puxei para mais perto de mim, como um sinal de que a queria, a qualquer custo.
Nos afastamos da pista, e ela se encostou numa mesa me puxando pra perto.....abrindo as pernas para mim, ela estava de vestido, enquanto a beijava, deslizei minha mão para a buceta dela, que neste momento estava úmida..... qndo senti ela na minha mão, totalmente lisinha, do jeito que eu adoro, voltei com os dedos cheios do mel daquela buceta até minha boca e me deliciei com aquele gosto, então, disse no ouvido de X: preciso te chupar!!!!
Sem hesitar ela me diz: Vamos ao banheiro!!!
Neste momento eu só queria ter aquela buceta na minha boca.
Entramos na mesma cabine e continuamos a nos beijar, desci até aquela buceta lisinha, molhada, linda.....ela já estava sem calcinha e neste momento já tirara o vestido, me ajoelhei pra maravilhar-me com aquela visão, e a chupei, chupei deliciosamente, e com as mãos estimulei td a região que eu sei o quanto é prazerosa pra mulher, dedos, língua, lábios e até meus dentes exploravam td aquela região gostosa de sentir.
Subi aos seus pequenos seios, eles me olhavam e eu os beijei, chupei, mordisquei deliciosamente.
Ela queria gozar e eu não queria decepcionar porque realmente estava gostando disso tudo. Então meus dedos e minha boca a fizeram gozar num grito que só foi abafado pelo som da boate.
Voltei com os dedos cheios daquele sabor. Nos beijamos, e ela se vestiu.
Voltamos pra pista, dançamos, bebemos, nos beijamos......provocamos os homens da boate, e fomos pra casa.
No outro dia ela me liga: Amiga adorei td, a noite as surpresas e tudo mais, vc tinha razão eu iria gostar disso, vamos repetir???

Luxure

um conto muito real

Eu não teria motivos para não ve-lo mais. Mas o fato dele ter uma namorada me bloqueava um pouco. Porém, em 6 meses de troca de SMS entre sim e não, nosso primeiro encontro foi num lugar "neutro", afinal ele é comprometido.
Entre a timidez dele e a minha sede, ficamos um bom tempo só no papo, deixei seguir o tempo dele. Ao menor movimento meu, ele me puxa pela nuca, me olha nos olhos e eu apenas fico sentindo a respiração quente dele proxima a minha boca. Eu perdi o fôlego antes mesmo de beija-lo. E com toda a delicadeza nos beijamos. E na intensidade que nossa respiração ficava ofegante, uma força nos puxava um ao outro. Eu queria senti-lo. Mas o lugar não era apropriado, e poderiamos ser presos. Acabamos ficando só naquela coisa de se sentir com força, sobre a roupa, e aquele desejo de "quero mais, muito mais".
Após minhas férias, perdemos um pouco o contato, que não vinha nem da minha parte nem da parte dele. Mas começando 2010 eu não resisti, e uma SMS dizendo apenas "Oi", foi o suficiente para uma proposta indecente e tentadora. Uma garrafa de vinho, meu sofá e nossos corpos. O vinho, lógico era pretexto para matarmos aquela vontade do ultimo encontro.
Uma taça, duas, três..... eu jã não queria ficar longe daquela boca, daquelas mãos......e como um cavalheiro ele me despiu, beijou meus ombros, beijou meus seios com a vontade e a intensidade de quem pinta um quadro. E o admirava como se fosse uma obra prima. Beijou minha barriga, enquanto eu passava minhas unhas pelas suas costas, ouvindo seus gemidos baixinhos de quem estava gostando. eu tirei sua camisa, queria sentir aquela pele toda queimada do sol, roçar entre as minhas pernas. Ele chegou na minha virilha, sua boca, sua língua era ferramentas de puro prazer. E com a boca tirou minha calcinha, sem antes elogia-la: - Adoro calcinha listrada. Eu já estava toda úmida, e ele veio umedecer mais ainda minhas partes mais quentes, com a língua me fez vez as estrelas, me chupou, me assoprou, me lambeu, e nos meus pés eu senti seu membro estar rijo. Eu queria sentir aquilo tambem, latente dentro de mim. Mas antes eu queria senti-lo na minha boca, crescente. O senti crescer na minha boca, eu o chupava com tesão, cada vez mais. Quando ele me puxa para cima e diz: - Deixa eu te sentir la dentro. Eu me abro pra sentir ele me penetrar.....vagarosmente pq seu membro é grande e grosso..... e aquilo me rouba um suspiro profundo, ele sorri pra mim. E todo movimento dele me dá impulsos de prazer, não resisto e gozo quase que em minutos. O prendi entre minhas pernas, e o puxo pra perto do meu corpo. ele me beija e diz: -Quero q vc goze mais pra mim. Quase como uma ordem, eu fico de quatro, minha posição preferida e olho pra ele: - Vem, me fode gostoso que eu vou gozar pra vc de novo. De quatro é a melhor posição para se ter um orgasmo homérico. Ele me pega pelo quadril e me puxa cada vez mais forte, me pegou pelos cabelos sem que eu pedisse.... eu já estava gozando novamente quando ele parou e me chupou naquela posição. Eu gozei loucamente. Estremeci meu corpo e cai sobre o sofá. ele ainda estava rijo, mas me abraçou, me beijou, e me deixou suar no corpo dele. Mas eu queria retribuir todo aquele prazer. E voltei a chupa-lo, estava para explodir de tesão. Cada vez que eu o colocava na minha boca, olhava pra ele perceber o quanto aquele pau na minha boca me dava prazer... eu nao queria parar. O chupei com o desejo de comer algo doce e quente que se misturava com o gosto do vinho que tomei. E ele gozou profundamente na minha boca, tinha gosto de mel, e eu qeuria engolir cada gota daquele líquido jorrado pelo membro mais rigido e gostoso.
Ele sorriu para mim. E ficamos abraçados, sentindo um ao outro, como dois corpos que acabaram de se fundir num só. Um pouco de descanso, eu comecei a beija-lo, e logo ele entendeu que eu queria mais e mais.

Luxure